Entrevista com o escritor parceiro Wallery Giscar

    Wallery Giscar Desten Alves da Costa Raposo tem 42 anos, dois filhos, é casado e mora em Teresina-PI. Formou-se, inicialmente, em Letras/Português e aí há um detalhe interessante: Contrariando o desejo comum, e apesar de outras opções mais bem vistas, optou pelo curso porque queria ser escritor. E por trabalhar num órgão do Judiciário, posteriormente, veio a se formar no curso de Bacharel em Direito. 
     Hoje trabalha como Servidor Público e nas horas vagas se dedica à leitura e à escrita. O interesse pela literatura se deu por acaso, depois de um trabalho em sala de aula na área literária. Alguns anos depois, surgiu a curiosidade pelos concursos literários e começou a escrever para participar e ter alguma experiência. 
   Dessas experiências alcançou alguns bons resultados na prosa, conquistando o primeiro lugar no Prêmio O. G. Rego de Carvalho – categoria Novela-PI com o livro Ajuste de Contas, um segundo lugar num concurso de crônica, bem como uma menção honrosa com um romance. Teve alguns resultados também na poesia, mas sua inclinação sempre foi a prosa. 
     Em julho de 2015, entrou para o rol dos escritores da Amazon e lá publicou, até agora, dois livros: Ajuste de Contas, que tem ficado numa boa colocação na lista dos mais vendidos da Amazon desde que foi publicado, e um livro de contos: O Lobisomem e outros contos.

     Wallery é a nosso novo escritor parceiro e para oficializar esse parceria fizemos uma entrevista com ele sobre seu livro Ajuste de Contas. Obrigada pela atenção. A equipe lhe deseja  muito sucesso.

1) Quem foi a primeira pessoa a ler sua obra?

Já vi pessoas ensinando que não é recomendável entregar a obra para irmão, pai, mãe ou esposa, pois eles são muito parciais em suas observações. No meu caso, meu primeiro leitor foi minha esposa. É ela quem faz a leitura crítica de minhas obras (rs). É ela quem dá alguns bons conselhos, faz algumas críticas, sugere algo e eu vejo que tem valido a pena. Agora mesmo, enquanto escrevo um outro trabalho, ela está revisando meu próximo romance.



2) Em que foi inspirada sua estória?

Quando adolescente, gostava de ouvir violeiros contando histórias de pistoleiros e os casos de amor e romance que envolviam estes personagens. Acredito que isso me influenciou de certo modo a escrever “Ajuste de Contas.” Apesar de o livro lidar com o universo da pistolagem, tive o cuidado de criar uma trama envolvendo o romance entre os personagens, Justino e Lindalva, e acredito que foi uma decisão acertada, pois fez com que o livro ficasse com um conteúdo mais romanesco.



3) E os personagens? Algum inspirado em alguém real?

Não, absolutamente, não. Os personagens foram imaginados apenas me baseando sobre o que eu sabia através de leituras de jornais ou filmes que falavam sobre o assunto.



4) A quem você dedica essa obra?

Essa obra dedico-a em primeiro lugar a Deus e claro minha família, esposa, filhos.



5) Defina seu livro em uma frase/palavra.

Acho que quando escrevi esse livro estava muito inspirado (rs), porque escrevi utilizando uma técnica chamada flashback que é uma forma ao mesmo tempo muito difícil, pois se o autor não souber amarrar bem a trama o leitor se perde na leitura; mas também muito interessante, pois a história prende o leitor. Pelo menos algumas pessoas me disseram que não tem como começar a ler “Ajuste de Contas” e parar, porque a história é costurada de uma forma que fisga o leitor. E acho que esse é o grande trunfo de qualquer escritor, conseguir prender o leitor e levá-lo até o fim da história, empurrando-o página por página. Então se fosse definir meu livro numa palavra eu diria que o livro é surpreendente.



6) Pretende lançar um segundo livro? Se sim, esse seria uma continuação do Ajuste de contas?

Não dá para entrar nesse mundo da ficção e não se contaminar pela paixão por escrever. Tenho vários projetos. Um deles, já em fase final, segue uma linha diferente de “Ajuste de Contas”, pois é trabalhada uma temática mais romântica bem diferente do que fiz com o primeiro livro e que acredito vai agradar a muitos. Apesar de o final de “Ajuste de Contas” colocar propositalmente um questionamento na cabeça do leitor, a história poderia ficar do jeito que está, pois se sustenta sozinha. Isso é fato. Mas, apesar disso, a continuação é um projeto, sim, no entanto, provavelmente só estarei trabalhando nela no próximo ano.



7) Agora, para todos conhecerem um pouco mais sobre você. Qual seu autor (a) favorito (a)?

Eleger um autor favorito é muito difícil. Sou um tipo de leitor que gosta de mesclar a leitura, então eu tanto gosto de Machado de Assis quanto de O. G. Rego de Carvalho; tanto gosto de Umberto Eco quanto de Marguerite Duras; tanto gosto de Hemingway quanto de Emily Bronte; tanto gosto de José de Alencar (inspiração para ser escritor) quanto de Alvina Gameiro; tanto gosto de John Green quanto de Jojo Moyes e por aí vai. Veja que tem alguns nomes que talvez nem sejam conhecidos do grande público ou não valorizados. Eleger o favorito deles é difícil,
pois cada autor tem uma particularidade e é isso que é legal: cada autor saber, de forma pessoal e individual, contar uma boa história e encantar o leitor. Então, eu não tenho um autor favorito, tenho vários e dizer qual o melhor é um pouco difícil. Agora mesmo estou lendo Fitzgerald e Tolstoy e estou achando o máximo. Há pouco tempo, li Jojo e me encantei, então acho que sou um leitor muito volúvel (rs).



8) Quando você começou a escrever, já pensava em seguir a carreira?

Sim. O sonho de escrever começou muito cedo, porém, problemas da vida, estudo, outros projetos empurraram este sonho para mais tarde.



9) Além de escrever, o que mais gosta de fazer?

Sou um leitor voraz. Não consigo me imaginar um escritor e não gostar de ler. Primeiro por que é lendo os grandes autores que aprendemos de verdade, segundo por que a leitura é algo viciante. Se alguém tem uma experiência ruim lendo um péssimo livro é claro que ele não vai querer continuar aquela experiência, mas se ele começa a ler um bom livro, bem escrito, com uma história cativante não tem como não se tornar apaixonado pela leitura. Gosto tanto de ler que para onde vou, estou com um livro no carro ou com o kindle, meu fiel companheiro.



10) Diga-nos um fato sobre você.
Sou muito determinado naquilo que faço e quando decidi abraçar a carreira de escritor foi porque tenho certeza de que, lá na frente, quando olhar para trás não vou ter motivos para me arrepender, mas para me orgulhar por saber que fiz aquilo que gostaria de ter feito. Se terei ou não sucesso como escritor? Deixo isso para o futuro. Por enquanto, vou fazendo aquilo que gosto de fazer: escrever histórias.
Por último, gostaria de agradecer a oportunidade de mostrar um pouquinho de mim. Abraços.


Sinopse - Ajuste de Contas

     Novela policial com uma pitada de romance, livro que conquistou o primeiro lugar no “Prêmio O. G. Rego de Carvalho – Categoria Novela” –FUNDAC-PI em 2001, conta a história de Justino, experiente pistoleiro, contratado para matar um fazendeiro, mas um desejo de vingança do passado, alimentado por um suposto desafeto, o faz desconfiar de que está sendo atraído a uma possível armadilha.
     Porém, um segredo escondido vem à tona, causando uma reviravolta na vida de Justino que tem a chance de reencontrar um antigo amor do passado a quem vai tentar reconquistar.
     Mas o destino se interpõe entre Justino e o seu grande amor, pois chegou a hora do acerto final, a hora do ajuste de contas... 

Uma história que vai prendê-lo do início ao fim, penetrando nos meandros da vida desse personagem tão misterioso e sombrio, o pistoleiro.

Compartilhe!

Deixe seu comentário!

1 comentários:

  1. Muito boa a entrevista! O livro tem uma história que te prende e faz você querer devorar mais e mais páginas para saber o desfecho. É uma leitura com detalhes que não cansam e desenham bem cada cena da história. Recomendo!

    ResponderExcluir

Dávila Vasconcelos. Tecnologia do Blogger.