Resenha do livro: Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban


Título Original: Harry Potter and the Prisoner of Azkaban
Nome da Autora: J.K.Rowling
Número de páginas: 348
Editora: Rocco
Nota pessoal: 5/5



    Mais uma das péssimas férias de Harry é passada com seus tios. Para piorar um pouco mais, Tia Guida aparece para fazer um visita e insulta os pais de Harry e este não se controla e transforma-a em um balão humano.
    Fugindo de casa, se depara com o Nôintibus Andante - um ônibus bruxo que viaja entre o mundo trouxa e o mundo mágico.- Manda ver, Ernestooooo!- Quando chega no Beco Diagonal, Harry  encontra-se com o Primeiro Ministro o qual lhe informa que o perigoso Sirius Black fugiu de Azkaban- prisão bruxa guardada pelos Dementadores- e todos acham que ele está a procura de Harry para matá-lo, sendo assim ele é protegido e vigiado a todo momento e até Hogwarts é mais protegida. 
    Mesmo contra a vontade de Dumbledore, Hogwarts é protegida por Dementadores- seres que sugam a felicidade de quem estiver próximo e que o seu beijo tira a alma do corpo-  e estes causam problemas com os alunos, principalmente com Harry. 
    Lupin é o novo professor de Defesas Contra as Artes das Trevas e ajuda Harry a superar os Dementadores ensinando a ele o feitiço Expecto Patronum. -para mim, Lupin foi o melhor professor dessa matéria.- É nesse ano que Harry é apresentado aos Marotos, ganha o Mapa dos irmãos Weasley. 

    Esse é o meu segundo livro favorito da saga, é nele que aparece o Lupin, que amo tanto que coloquei o seu nome no meu cachorro. Esse é o terceiro livro da saga e perfeito como os anteriores.

Quote: "Juro solenemente que não vou fazer nada de bom."

Compartilhe!

Comente este post!

    Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Dávila Vasconcelos. Tecnologia do Blogger.