Resenha do livro: O lado bom da vida

 



Título Original: Silver Linings  Playbook
Nome do Autor: Matthew Quick
Número de páginas: 256
Editora: Intrínseca
Nota pessoal: 4/5


    Quando sofremos algum trauma, nosso cérebro bloqueia certas lembranças e é isso o que aconteceu com Pat Peoples. Ele se vê em Baltimore -uma casa de reabilitação psiquiatra- o qual refere como "lugar ruim", lá faz amigos e age da forma como Nikki gostaria. 
    Pat era um marido não muito presente e que não fazia coisas que agradavam a sua mulher, Nikki. Então, depois de decidirem dar um tempo no relacionamento, Pat decide fazer tudo que iria agradá-la, pratica muitos exercícios físicos e fica bem musculoso. Quando sua mãe consegue tirá-lo do lugar ruim, ele continua com os exercícios pois Nikki gosta de homens magros. Faz novas amizades e se mantém em forma esperando o "tempo separados" acabar. 
    Muitos momentos engraçados acontecem, vira fã de um jogador de futebol americano, graças a seu irmão Jake que se dá bem na temporada, fica popular entre os amigos por causa disso e descobre que passou mais tempo do que imaginava na reabilitação. Seu relacionamento com o pai não é muito produtivo, ele evita-o. Tiaffane é bem bizarra, mas gostei muito dela. Pat tem um sério problema com um cantor de jaz- Kenny G- mas não se lembra porquê. Seu psiquiatra torce para o mesmo time que Pat, Eagles. E faz parte de uma torcida organizada denominada "Invasão asiática". Pat desabafa com ele a procura de ajuda e sente-se bem quando fá-lo.

    É uma estória legal, que nos faz especular vários fatos corriqueiros. Pat é determinado e sua determinação faz com que o desenrolar fique mais interessante. Tenta sempre ver o lado bom das coisas. Confesso que esperei mais do final do livro porém, ele é bem legal. Obrigada Tallita pela indicação. ;)


Quote:"São suas ações que fazem de você uma boa pessoa, não sua vontade."

Compartilhe!

Deixe seu comentário!

2 comentários:

Dávila Vasconcelos. Tecnologia do Blogger.